Administração

Diretoria Executiva

Cabe à Diretoria Executiva exercer a gestão dos negócios da Companhia de acordo com a missão, os objetivos, as estratégias e diretrizes fixadas pelo Conselho de Administração.

Competências da Diretoria Executiva

Compete à Diretoria Executiva:

I. Avaliar e submeter à aprovação do Conselho de Administração:

  • as bases e diretrizes para a elaboração do plano estratégico, bem como dos programas anuais e planos plurianuais;
  • o plano estratégico, bem como os respectivos planos plurianuais e programas anuais de dispêndios e de investimentos da Companhia com os respectivos projetos;
  • os orçamentos de custeio e de investimentos da Companhia;
  • o resultado de desempenho das atividades da Companhia;
  • a indicação dos titulares da estrutura geral da Companhia, com base nos critérios estabelecidos pelo Conselho de Administração;
  • os planos que disponham sobre a admissão, carreira e sucessão, vantagens e regime disciplinar dos empregados da Companhia.

II. Aprovar:

  • Critérios de avaliação técnico-econômica para os projetos de investimentos, com os respectivos planos de delegação de responsabilidade para sua execução e implantação;
  • Política de preços e estruturas básica de preço dos produtos da Companhia;
  • Políticas de gestão, de construção e planejamento, operação e manutenção dos ativos da Companhia;
  • Políticas de compras, planejamento econômico-financeiro e tributário da Companhia;
  • Políticas de atuação de rede de postos e lojas de conveniência;
  • Políticas de atuação do Mercado Corporativo e de Lubrificantes;
  • Planos de contas, critérios básicos para apuração de resultados, amortização e depreciação de capitais investidos e mudanças de práticas contábeis;
  • Manuais e normas de contabilidade, finanças, administração de pessoal, contratação e execução de obras e serviços, suprimento e alienação de materiais e equipamentos, de operação e outros necessários à orientação do funcionamento da Companhia;
  • Normas para cessão de uso, locação ou arrendamento de bens imóveis de propriedade da Companhia;
  • A estrutura básica da Companhia, considerando as definições constantes do Plano Básico de Organização, com suas respectivas responsabilidades, bem como criar, transformar ou extinguir órgãos operacionais ou correspondentes, agências, filiais, sucursais e escritórios no País;
  • A lotação de pessoal dos órgãos da Companhia;
  • Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos;
  • Os atos e contratos relativos à sua alçada decisória;
  • O valor acima do qual os atos, contratos ou operações, embora de competência do Presidente ou dos Diretores Executivos, deverão ser submetidos para aprovação da Diretoria Executiva, respeitada a alçada definida pelo Conselho de Administração;
  • A criação e a extinção de Comitês não estatutários, vinculados a Diretoria Executiva ou a seus membros, aprovando as respectivas regras de funcionamento, atribuições e limites de competência para atuação;
  • Seu Regimento Interno;
  • O plano anual de seguros da Companhia;
  • Convenções ou acordos coletivos de trabalho, bem como a propositura de dissídios coletivos de trabalho.

III. Garantir a implementação do Plano Estratégico e dos planos plurianuais e programas anuais de dispêndios e de investimentos da Companhia com os respectivos projetos, respeitando os limites orçamentários aprovados;

IV. Monitorar a sustentabilidade dos negócios, os riscos estratégicos e respectivas medidas de mitigação, elaborando relatórios gerenciais com indicadores de gestão;

V. Acompanhar e controlar as atividades das empresas das quais a Companhia participe, ou com as quais esteja associada;

VI. Instruir os representantes da Companhia nas Assembleias Gerais das suas subsidiárias integrais, controladas e coligadas, em conformidade com as diretrizes fixadas pelo Conselho de Administração, bem como com as orientações corporativas aplicáveis;

VII. Deliberar sobre nomes e insígnias da Companhia; e

VIII. Deliberar sobre os assuntos que venham a ser submetidos pelo Presidente ou por qualquer Diretor Executivo.

Ernesto Pousada CEO

Engenheiro Mecânico, formado pela Escola de Engenharia Mauá, com especialização em Administração e Negócios pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com mais de 30 anos de experiência de mercado, construiu sua sólida carreira exercendo cargos executivos no Brasil e no exterior. Sua última posição foi a de CEO na VLI Logística. Atuou ainda em grandes empresas como a, Dow Chemical, Suzano Papel e Celulose, e Ingredion, incluindo experiências internacionais nos Estados Unidos e Europa. Em 2021, foi eleito Executivo de Valor no setor de Transporte e Logística pelo jornal Valor Econômico. Não esteve sujeito, nos últimos cinco anos, à condenação criminal, à condenação em processo administrativo da CVM e à condenação transitada em julgado, na esfera judicial ou administrativa, que o tenha suspendido ou inabilitado para prática de atividade profissional ou comercial; e (ii) não é considerado pessoa politicamente exposta, nos termos da ICVM 617/19. Por fim, o Sr. Ernesto Pousada não ocupa cargos em outras sociedades ou organizações do terceiro setor.

Augusto Ribeiro Júnior Finanças, Compras e RI

Bacharel e mestre em engenharia mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), possui diploma em finanças corporativas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), mestrado em administração de empresas (EMBA) pela University of Pittsburgh e especializações em integração de finanças e criação de valor estratégico da Wharton School of Business da Universidade da Pensilvânia e fusões e aquisições da London Business School. Atuou como Diretor Financeiro do PicPay Brasil desde abril de 2021. Atuou na Iochpe Maxion S.A., como Diretor Presidente de sua unidade de componentes estruturais, Maxion Componentes Estruturais de 2019 a 2021 e como Diretor Financeiro e de Relações com Investidores de 2016 a 2019. Anteriormente, o Sr. Ribeiro atuou como Diretor Financeiro e de Relações com Investidores de 2013 a 2016 e Diretor de Planejamento e Controle de 2010 a 2013 na BRF (Brasil Foods) S.A. O Sr. Ribeiro também foi Controller da Sadia S.A. de 2008 a 2010, Business Controller da Kraft Foods Brasil desde 2007 a 2008, Corporate Controller South America na BASF SE em 2007 e Diretor Administrativo e Financeiro, Business Controller, Risk Manager, Auditor Global Sênior e Gerente de Engenharia e Trainee na Unilever Plc de 1996 a 2007.

Marcelo Fernandes Bragança Operações Logística e Sourcing

Engenheiro mecânico formado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com pós-graduação em Engenharia de Manutenção e MBA em Logística Empresarial, Marcelo está na BR desde 1998, já tendo ocupado outros cargos executivos na companhia, inclusive a DIOL e DRPV, posição que ocupava desde 2017.

Flavio Coelho Dantas Comercial, Varejo e Inteligência de Mercado

Economista formado pela PUC-RJ, com especialização em Administração na mesma instituição, Flavio possui 26 anos de experiência executiva em empresas de grande porte e desenvolveu boa parte de sua trajetória profissional na Ipiranga, onde exerceu funções de gestão e atuou como diretor comercial, entre 2011 e 2015. Após atuar como Senior Advisor para a indústria de Óleo e Gás na Accenture Brasil, ocupou o cargo de diretor executivo da FIRJAN, entre 2017 e 2019.

Juliano Junqueira de Andrade Prado Comercial B2B

Graduado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com MBA executivo pela Coppead. Possui formação complementar em importantes escolas de negócios como London Business School, Wharton, Harvard e IMD. Foi Vice-presidente global na Gerdau entre 2020 e 2023; ao longo de sua carreira, atuou em diversos países trabalhando nas empresas Shell, Raízen e Cosan, liderando áreas como marketing, comercial, planejamento, operações, estratégia, M&A e transformação digital. Foi Diretor Executivo da Raízen, coordenando toda a operação agroindustrial com 26 plantas industriais, CEO da startup Payly e Diretor Executivo da Holding Cosan.

Clarissa Sadock Energia Renovável e ESG

Graduada em Economia pela Faculdade Cândido Mendes, possui MBA em Finanças pela COPPEAD/UFRJ e curso de extensão em Finanças pela Darden School of Business-University of Virginia (EUA). Nos últimos cinco anos ocupou a posição de (i) Diretora Presidente da AES Brasil Energia, desde novembro de 2020; (ii) Diretora de Planejamento Financeiro e Estratégico da: (a) AES Brasil Energia; (b) AES Eletropaulo; (c) AES Sul; e (d) AES Uruguaiana Empreendimentos S.A., de junho de 2015 a outubro de 2017; e de (iii) Diretora de Tesouraria e Relações com Investidores da (a) Eletropaulo; (b) Companhia; (c) AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S.A.; e (d) AES Uruguaiana Empreendimentos S.A., de agosto de 2008 a junho de 2015; e de (iii) membro suplente do Conselho de Administração da Companhia e da AES Elpa.

Henry Daniel Hadid Jurídico, Compliance e Relações Institucionais

Formado em Direito em 1997, na Universidade Estácio de Sá, com Pós-Graduação em Direito do Petróleo pela Universidade Candido Mandes e MBA em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Admitido na BR em 2001, já tendo exercido as funções de Coordenador de Processos Terceirizados, Gerente Jurídico de Recuperação de Créditos, Gerente Jurídico de Planejamento e Gestão e Gerente Executivo Jurídico.

Aspen Ricardo Andersen da Silva Gente e Tecnologia

Engenheiro Mecânico formado pela UFRJ, com MBA em Gestão de Negócios pelo Ibmec e Pós-MBA em Digital Business e Formação Executiva em Inovação Aberta pela FGV, Inovação Radical, Transformação Digital e Inovação Corporativa pelo MIT e Programa de Liderança e Tecnologias Exponenciais pela Singularity University. Aspen está na BR desde 2003, tendo ocupado diversas funções gerenciais na BR e Petrobras, como desenvolvimento de negócios, planejamento e tecnologia.

Vanessa Gordilho Negócios, Produtos e Marketing

Nascida em Salvador, Vanessa Gordilho conta com vasta experiência nos setores de tecnologia, no mercado financeiro e empresas de meios de pagamento, no qual atuou por quase duas décadas auxiliando na transformação digital de negócios como Mastercard, Thalles e GetNet, do grupo Santander. Antes de chegar à Vibra, atuou como CEO na healthtech Qsaúde. Vanessa possui graduação em Comunicação e MBA nos EUA pela UCSD.

Conselho Fiscal

O nosso Conselho Fiscal é composto por seis membros, sendo três efetivos e três suplentes. Clique no nome para conhecer o currículo de cada um deles.

Competências para o Conselho Fiscal

Compete ao Conselho Fiscal, sem prejuízo de outras atribuições que lhe sejam conferidas em virtude de disposição legal ou por determinação da Assembleia Geral:

  • Fiscalizar, por qualquer de seus membros, os atos dos administradores e verificar o cumprimento dos seus deveres legais e estatutários;
  • Opinar sobre o relatório anual da administração, fazendo constar do seu parecer as informações complementares que julgar necessárias ou úteis à deliberação da Assembleia Geral;
  • Opinar sobre as propostas dos administradores, a serem submetidas à Assembleia Geral, relativas à modificação do capital social, emissão de debêntures ou bônus de subscrição, planos de investimentos ou orçamentos de capital, distribuição de dividendos, transformação, incorporação, fusão ou cisão da Companhia;
  • Denunciar, por qualquer de seus membros, aos órgãos de administração e, se estes não tomarem as providências necessárias para proteção dos interesses da Companhia, à Assembleia Geral, os erros, fraudes ou crimes que descobrirem, e sugerir providências úteis à Companhia;
  • Convocar a Assembleia Geral Ordinária se os administradores retardarem por mais de um mês essa convocação, e a Extraordinária sempre que ocorrerem motivos graves ou urgentes, incluindo na pauta das assembleias as matérias que considerarem necessárias;
  • Analisar, pelo menos trimestralmente, o balancete e demais demonstrações financeiras elaboradas periodicamente pela Diretoria Executiva;
    examinar as demonstrações financeiras do exercício social e sobre elas opinar;
  • Exercer essas atribuições durante a liquidação; e
  • Realizar a autoavaliação anual de seu desempenho.

Parágrafo único. Os membros do Conselho Fiscal participarão, obrigatoriamente, das reuniões do Conselho de Administração em que devam ser apreciadas as matérias referidas nos incisos II, III e VII deste artigo.

Gueitiro Matsuo Genso Membro Efetivo

Graduado em administração de empresas pela FACULDADES SPEI CURITIBA PR em 1º de agosto de 2002, foi Diretor no Banco do Brasil de janeiro de 2010 a fevereiro de 2015. Em março de 2015 assumiu a posição de Presidente na Previ, cargo que ocupou até julho de 2018. Desta data até dezembro do mesmo ano, ocupou o cargo de Vice-Presidente no Banco do Brasil. Em julho de 2019, passou a ocupar a posição de Presidente da PicPay, até agosto de 2020. O Sr. Gueitiro Matsuo Genso declarou, para todos os fins de direito que, nos últimos cinco anos, não esteve sujeito aos efeitos de qualquer condenação criminal, mesmo que não transitada em julgado, qualquer condenação ou aplicação de pena em processo administrativo perante a CVM, o Banco Central do Brasil ou a Superintendência de Seguros Privados ou qualquer condenação transitada em julgado, na esfera judicial ou administrativo, que tivesse por efeito a suspensão ou a inabilitação para a prática de qualquer atividade profissional ou comercial.

Ana Cristina Ribeiro Kattar Membro Suplente do Conselheiro Gueitiro Matsuo Genso
Formada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), em fevereiro de 2002, com MBA em Administração pela Babson College, em 2009, e certificação pelo ICSS – Instituto de Certificação Institucional e dos Profissionais de Seguridade Social e pelo IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Atua como executiva por mais de 20 anos nos setores de serviços financeiros e saúde, estruturando unidades de negócios, estabelecendo a governança, gerindo P&Ls, analisando novas oportunidades, elaborando planejamentos estratégicos, liderando projetos de inovação, impulsionando a transformação digital, executando planos comerciais e lançando produtos no Brasil e na América Latina. Iniciou sua trajetória na área comercial de previdência dos bancos CCF/ HSBC e foi responsável por produtos de previdência e seguros no Santander. Nos últimos anos foi diretora executiva voluntária do Fundo de Pensão Planejar e tem atuado em saúde como consultora empresarial e executiva em empresas farmacêuticas, em posições como líder de marketing na Janssen e diretora de unidade de negócios na Sanofi e na GSK.
Vitor Paulo Camargo Gonçalves Membro Efetivo

Graduado em administração pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, em março de 1981; realizou cursos de conselheiro de administração pelo IBGC, em 2001 e de desenvolvimento em administração pela Fundação Dom Cabral em 2002 e IBMEC, em 2003. É, ainda, pós-graduado em gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, concluído em 2006, e realizou curso de conhecimento contínuo para comitê de auditoria, no IBCG, em 2019. Na Previ, sua trajetória iniciou em junho de 1990 como conselheiro fiscal suplente, cargo que ocupou até maio de 1992. De junho de 1992 a maio de 1996, assumiu cargo na Diretoria Deliberativa. No final de 1997, passou a ocupar cargo na Diretoria de Participações, até maio de 2000. De junho de 2004 a maio de 2010, foi membro da Gerência de Políticas e Cenários da Previ, sendo que, em junho de 2010 passou a ocupar o cargo de Diretor de Planejamento, até maio de 2014. Entre março de 1996 e 1997, ocupou a presidência da Federação das Cooperativas de Consumo. Entre abril de 1997 e abril de 2003, foi conselheiro na Paranapanema S.A. Entre abril de 2005 e 2007, foi conselheiro na Petroflex. Entre junho de 2010 e maio de 2012, ocupou cargo no conselho deliberativo da ABRAPP. Entre junho de 2010 e julho de 2020, ocupou cargo no conselho deliberativo da Economus. De 2007 a 2011 também ocupou cargo de conselheiro na Kepler e Weber. De abril de 2011 a abril de 2015 foi conselheiro na Embraer, onde também ocupou cargo no comitê de auditoria e riscos entre 2011 e 2013 e no comitê de recursos humanos de 2013 a 2015. Também foi presidente do conselho diretor da ICSS de outubro de 2011 a agosto de 2019. Entre outubro de 2018 a agosto de 2019, ocupou cargo no comitê de auditoria da Cooperforte. De março de 2019 a março de 2020, ocupou cargo no conselho fiscal da Tupy S.A.

Aramis Sá de Andrade Membro Suplente do Conselheiro Vitor Paulo Camargo Gonçalves

Graduado em Economia e em Direito (UFAC), especialista em Direito Civil e em Direito Processual Civil (Estácio de Sá) e MBA-Formação Geral e Desenvolvimento de Executivos em Administração (USP/FIA); Extensões Acadêmicas, dentre outras, em Governança Corporativa e Formação para Conselheiros (FGV, USP/FIPECAFI e IBGC), Banking e Sistema Financeiro no Mercado Global e Behavioral Economics (The University of Chicago Booth School of Business), Programa Executivo “BB Digital Business Transformation” (MIT-USA), Operational Efficiency Responsibility and Sustainable Business (UPeace/UN-NY-USA). Detém Certificações Profissionais em Governança Corporativa, por proficiência e experiência, pelo IBGC (Conselheiro de Administração, CCA+; Conselheiro Fiscal, CCF; e Membro de Comitê de Auditoria, CCoAud+); e pelo ICSS – Profissional Certificado em Seguridade Social, com Ênfase em Administração. Atualmente, é Membro do Comitê de Auditoria (Coaud), Membro Coordenador do Comitê de Tecnologia e Inovação (Cotei) e Membro do Comitê de Pessoas, Remuneração e Elegibilidade  (Corem) do BANCO DO BRASIL; Conselheiro de Administração Independente, Membro Coordenador do Comitê de Auditoria e Membro do Comitê de Pessoas, Elegibilidade, Sucessão e Remuneração na INFRAERO-Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária S.A. Foi Conselheiro de Administração no BANCO DO BRASIL (2021-2023), Conselheiro Fiscal na GERDAU S.A. (2022-2023) e na METALÚRGICA GERDAU S.A. (2018-2022) e Conselheiro Fiscal Suplente na NORTE ENERGIA S.A. (2020-2021) e na WEG S.A. (2016-2018); Conselheiro Deliberativo na BB-PREVIDÊNCIA-Fundo de Pensão Banco do Brasil (2015-2017); Membro do Comitê de Auditoria na BBTS-TECNOLOGIA E SERVIÇOS (2013-2015) e Conselheiro Deliberativo no SEBRAE-AC (1992-1995). Foi funcionário do BANCO DO BRASIL de 1979 a 2015. Ingressou como Menor-Aprendiz e exerceu cargos de primeiro gestor em unidades regionais e estratégicas do Banco no País, entre os quais os de Gerente Geral de Assessorias Jurídicas Regionais (Acre, Pará-Amapá, Distrito Federal e Bahia-Sergipe), de Superintendente Estadual (Acre) e de Gerente Executivo e Gerente Geral (equivalente a Diretor Executivo) na Unidade Estratégica de Arquitetura e Governança de TI na Diretoria de Tecnologia.

Rinaldo Pecchio Júnior Membro Efetivo

Graduado em Economia pela Unicamp e em Ciências Contábeis pela Puccamp e possui MBA em Finanças pela IBMEC. Apresenta mais de 30 anos de carreira, e atua como CFO desde 2004. Iniciou sua trajetória como auditor da Arthur Andersen e desenvolveu sua carreira majoritariamente no setor elétrico, com passagens pelos setores de indústria e agronegócio. Construiu um repertório em FP&A no início de sua carreira e possui sólida experiência em project finance e emissão de dívidas, sendo pioneiro na emissão de debêntures verde do setor de transmissão. Como CFO, passou por empresas como Centro de Tecnologia Canavieira S.A.- CTC, ISA Cteep S.A., Grupo AES Brasil, Tetra Pak Ltda e Elektro. Desde maio de 2023, é Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da TAESA -Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A.

Walbert Antonio dos Santos Membro Suplente do Conselheiro Rinaldo Pecchio

Graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade de Visconde de Cairu, em 1996. Atualmente, atua como consultor empresarial independente, principalmente nas áreas de varejo (Grupo Pereira com sede em São Paulo e atuação principalmente no Centro Oeste) e Educação (Escolas Morumbi Sul, com atuação em São Paulo) e, desde 2017, é membro de conselho fiscal do Magazine Luíza e conselheiro independente das Clínicas Clivale, empresa familiar sediada em Salvador. Atuou durante 35 anos como auditor e consultor empresarial, entre 1980 até 2002, na Arthur Andersen & CO, onde atuou como Sócio Internacional nos últimos seis anos; no período entre 2001 e 2015, foi Sócio de auditoria da Deloitte Touche Thomatsu. O Sr. Walbert Antonio dos Santos declarou, para todos os fins de direito que, nos últimos cinco anos, não esteve sujeito aos efeitos de qualquer condenação criminal, mesmo que não transitada em julgado, qualquer condenação ou aplicação de pena em processo administrativo perante a CVM ou qualquer condenação transitada em julgado, na esfera judicial ou administrativo, que tivesse por efeito a suspensão ou a inabilitação para a prática de qualquer atividade profissional ou comercial. O Sr. Walbert Antonio dos Santos declarou não ser Pessoa Politicamente Exposta, nos termos da Instrução da CVM nº 617, de 5 de dezembro de 2019, por não se enquadrar em nenhuma das situações que caracterizam a Pessoa Politicamente Exposta.

Conselho de Administração

O nosso Conselho de Administração é composto por nove representantes. Clique no nome para conhecer o currículo de cada um deles.

Competências do Conselho de Administração

O Conselho de Administração é o órgão de orientação e direção superior da Companhia, competindo-lhe:

  • Fixar a orientação geral dos negócios da Companhia, definindo sua missão, seus objetivos estratégicos e diretrizes;
  • Aprovar, por proposta da Diretoria Executiva, e acompanhar o plano estratégico, os respectivos planos plurianuais, bem como os planos e programas anuais de dispêndios e de investimentos, as metas, assim como avaliar os resultados na execução dos referidos planos, devendo publicar suas conclusões e informá-las ao Congresso Nacional e ao Tribunal de Contas da União;
  • Definir os assuntos e valores para a alçada decisória da Diretoria Executiva, fiscalizar a gestão da Diretoria Executiva e de seus membros e fixar-lhes as atribuições, examinando, a qualquer tempo, os livros e papéis da Companhia, podendo solicitar informações sobre contratos celebrados ou em via de celebração, e quaisquer outros atos;
  • Avaliar, anualmente, resultados de desempenho, individual e coletivo, dos administradores e dos membros dos comitês estatutários do Conselho, com o apoio metodológico e procedimental do Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão, observados os seguintes quesitos mínimos:
    1. exposição dos atos de gestão praticados quanto à licitude e à eficácia da ação gerencial e administrativa;
    2. contribuição para o resultado do exercício; e
    3. consecução dos objetivos estabelecidos no plano de negócios e atendimento à estratégia de longo prazo de que trata o art. 37, §1º do Decreto nº 8.945, de 27 de dezembro de 2016;
  • Manifestar-se sobre atos ou contratos relativos à sua alçada decisória e aprovar, anualmente, o valor acima do qual os atos, contratos ou operações, embora de competência da Diretoria Executiva ou de seus membros, deverão ser submetidos à aprovação do Conselho de Administração;
  • Aprovar a prática de atos que importem em renúncia, transação ou compromisso arbitral, podendo fixar limites de valor para a prática desses atos pela Diretoria Executiva ou por seus membros;
  • Deliberar sobre a emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações e sem garantia real;
  • Fixar as políticas globais da Companhia, incluindo a de gestão estratégica comercial, financeira, de suprimentos de derivados, de riscos, de investimentos, de meio ambiente, de divulgação de informações, de negociação de valores mobiliários, de distribuição de dividendos, de transações com partes relacionadas, de porta-vozes, de recursos humanos, de participações minoritárias e de licitações e contratos;
  • Aprovar a transferência da titularidade de ativos da Companhia, constituição de ônus reais e a prestação de garantias a obrigações de terceiros, podendo fixar limites de valor para a prática desses atos pela Diretoria Executiva ou por seus membros;
  • Aprovar o Regulamento Eleitoral de escolha do membro do Conselho de Administração eleito pelos empregados;
  • Aprovar os planos que disponham sobre a admissão, carreira, sucessão, vantagens e regime disciplinar dos empregados da Companhia;
  • Aprovar a Política de Indicação que contenha os requisitos mínimos para indicação de membros do Conselho de Administração e de seus Comitês, do Conselho Fiscal e da Diretoria Executiva, a ser disponibilizada, de forma ampla, aos acionistas e ao mercado, nos limites da legislação aplicável;
  • Aprovar e divulgar Carta Anual e Carta de Governança Corporativa, na forma prevista na Lei nº 13.303, de 30 de junho de 2016;
  • Implementar, diretamente ou por intermédio de outros órgãos da Companhia, e supervisionar os sistemas de gestão de riscos e de controle interno estabelecidos para a prevenção e a mitigação dos principais riscos, inclusive os riscos relacionados à integridade das informações contábeis e financeiras e àqueles relacionados à ocorrência de corrupção e fraude;
  • Manifestar-se formalmente quando da realização de ofertas públicas de aquisição de ações de emissão da Companhia;
  • Aprovar a indicação e destituição do titular da área de Auditoria Interna, ouvido o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), além de definir as atribuições e regulamentar seu funcionamento;
  • Aprovar a indicação e destituição do titular da área de Governança, Risco e Conformidade;
  • Aprovar a indicação e destituição do titular da área de Ouvidoria, definir suas atribuições e regulamentar o seu funcionamento;
  • Arovar o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna – PAINT e o Relatório Anual das Atividades de Auditoria Interna – RAINT; e
    analisar, ao menos trimestralmente, o balancete e demais demonstrações financeiras elaboradas periodicamente pela Companhia, sem prejuízo da atuação do Conselho Fiscal.

§1º A fixação da política de recursos humanos de que trata o inciso VIII não poderá contar com a participação do Conselheiro representante dos empregados, caso as discussões e deliberações em pauta envolvam assuntos de relações sindicais, remuneração, benefícios e vantagens, inclusive matérias de previdência complementar e assistenciais, hipóteses em que fica configurado o conflito de interesse.

§2º A manifestação formal, favorável ou contrária, de que trata o inciso XV será por meio de parecer prévio fundamentado, divulgado em até 15 (quinze) dias da publicação do edital da oferta pública de ações, abordando, pelo menos: (i) a conveniência e a oportunidade da oferta pública de ações quanto ao interesse da Companhia e do conjunto dos seus acionistas, inclusive em relação ao preço e aos potenciais impactos para a liquidez das ações ; (ii) os planos estratégicos divulgados pelo ofertante em relação à Companhia; e (iii) alternativas à aceitação da Oferta Pública de Ações disponíveis no mercado.

§3º O parecer do Conselho de Administração deve abranger a opinião fundamentada favorável ou contrária à aceitação da oferta pública, alertando que é de responsabilidade de cada acionista a decisão final sobre a referida aceitação.

Compete, ainda, ao Conselho de Administração deliberar sobre as seguintes matérias:

  • Plano Básico de Organização e suas modificações, respeitando os encargos de cada membro da Diretoria Executiva, conforme estabelecido no art. 31 deste Estatuto;
  • Indicação e destituição dos titulares da estrutura geral da Companhia, proposta pela Diretoria Executiva, conforme definido no Plano Básico de Organização, com base nos critérios fixados pelo próprio Conselho de Administração;
  • Autorização para aquisição de ações de emissão da Companhia para permanência em tesouraria ou cancelamento, bem como posterior alienação dessas ações, exceto nos casos de competência da Assembleia Geral, conforme as disposições legais, regulamentares e estatutárias;
  • Permuta de valores mobiliários de sua emissão;
  • Eleição e destituição, a qualquer tempo, dos membros da Diretoria Executiva;
  • Constituição de subsidiárias integrais, participações da Companhia em sociedades controladas ou coligadas, a transferência ou a cessação dessa participação, bem como a aquisição de ações ou cotas de outras sociedades;
  • Convocação de Assembleia Geral dos acionistas, nos casos previstos em lei, publicando o edital de convocação com, no mínimo, 15 (quinze) dias de antecedência;
  • As propostas a serem submetidas à deliberação dos acionistas em assembleia;
  • Inclusão de matérias no instrumento de convocação da Assembleia Geral, não se admitindo a rubrica “assuntos gerais”;
  • Código de Ética e Guia de Conduta, bem como Regimento Interno do Conselho de Administração;
  • Política e Diretrizes de Governança Corporativa da Companhia;
  • Escolha e destituição de auditores independentes, os quais não poderão prestar à Companhia serviços de consultoria durante a vigência do contrato;
  • Relatório da administração e contas da Diretoria Executiva;
  • Escolha dos integrantes dos Comitês estatutários do Conselho, dentre seus membros e/ou dentre pessoas de mercado de notória experiência e capacidade técnica em relação à especialidade do respectivo Comitê, e aprovação das atribuições e regras de funcionamento dos Comitês;
  • Assuntos que, em virtude de disposição legal ou por determinação da Assembleia Geral, dependam de sua deliberação;
  • Critérios de integridade e conformidade, bem como os demais critérios e requisitos pertinentes aplicáveis à eleição dos membros da Diretoria Executiva e à indicação dos titulares da estrutura geral, que deverão atender, no mínimo, àqueles constantes do art. 165, §§1º, 2º e 3º deste Estatuto;
  • Deliberar sobre marcas e patentes; e
  • Casos omissos deste Estatuto Social.
Sérgio Agapito Lires Rial Presidente do Conselho de Administração Independente

Formado em economia e direito, com MBA e com diversos cursos em universidades nos EUA e Europa, tem uma longa carreira internacional como executivo e membro de conselhos nos setores financeiros e relacionados ao AGRO, da Ásia às Américas. Integra, desde 2023, o conselho consultivo de uma das maiores universidades da China – Zhejiang University International Business School (ZIBS), como um dos membros do conselho internacional e faz parte do Conselho Consultivo da FRUX Capital, um grande fundo de investimento na Europa, com sede em Madrid. Atualmente é presidente do Conselho de Administração da Vibra Energia, uma das maiores empresas do Brasil, anteriormente conhecida como BR Distribuidora. Acumula também a Presidência do Conselho de Administração da Ebury Partners, em Londres, uma fintech global que oferece soluções de câmbio e pagamentos cross-border que impulsionam o comércio exterior e negócios digitais entre vários países. Além disso, é membro do conselho da Brazil Foods (BRF), maior empresa nacional de alimentos e membro do conselho de administração da Delta Airlines nos EUA, há mais de nove anos. No tema de ESG, é membro do conselho global da The Nature Conservancy (TNC), uma das maiores ONGs ambientais do mundo, com sede nos EUA, e co-presidente do conselho empresarial focado na conservação ambiental na América Latina (LACC). Antes disso, também foi presidente do Conselho e Presidente Executivo do Santander Brasil até janeiro de 2023 tendo feito também parte do conselho do grupo Santander na  Espanha. Como executivo, desempenhou funções no comitê executivo global do ABN AMRO em Amsterdã, Diretor Executivo Sênior no Bear Stearns em Nova York, CFO Global da Cargill em Minneapolis e CEO da Marfrig Foods, uma das maiores empresas de carne bovina do mundo.

Fabio Schvartsman Membro Independente do Conselho de Administração

Formado em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas – EAESP/FGV, com pós-graduação em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP. Foi Diretor-Presidente da Vale (de maio de 2017 até março de 2019) e Participante Permanente do Comitê de Divulgação de Informações da Vale (durante o mesmo período), onde exerceu ainda o cargo de Participante Permanente e Coordenador do Comitê Estratégico (de maio a outubro de 2017). Suas principais experiências profissionais incluem: (i) Diretor Geral e CEO da Klabin S.A. (de fevereiro de 2011 a maio de 2017), companhia aberta que atua no setor de papel e celulose; (ii) Presidente da SanAntonio Internacional (de março de 2008 a março de 2010), sociedade do setor de óleo e gás; (iii) Presidente da Telemar Participações S.A. (de abril de 2007 a março de 2008), companhia do setor de telecomunicações; na Ultrapar, companhia do setor de distribuição de combustíveis, atuou como (iv) Superintendente de Planejamento, (v) Diretor de Planejamento, (vi) Diretor de Planejamento e Controle, (vii) Diretor de Relações com Investidores, (viii) Presidente (Ultraprev), (ix) Sócio-Diretor (Ultra S.A. – controladora da Ultrapar) e (x) CFO/Diretor Superintendente Financeiro (Grupo Ultra de maio de 1985 a abril de 2007); (xi) Membro do Conselho de Administração da Duratex S.A., companhia aberta que atua no setor madeireiro, onde também atuou como (xii) Chefe de Setor de Estudos Econômicos, (xiii) Chefe de Divisão de Desenvolvimento e (xiv) Chefe do Departamento de Planejamento (de fevereiro de 1976 a abril de 1985); e (xv) foi membro do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar, empresa do setor de varejo. Graduou-se em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP em 1976. Cursou pós-graduação em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP, concluída em 1977, e em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas – EAESP/FGV, concluída em 1979.

Walter Schalka Membro Independente do Conselho de Administração

Engenheiro formado pelo ITA e pós-graduado pela FGV, IMD e Harvard Business School e desde 2013 ocupa o cargo de Presidente da Suzano. Iniciou sua carreira no Citibank e, em 1989, assumiu o cargo de Diretor Financeiro e Administrativo na Dixie Lalekla. Com a fusão das empresas Toga e Dixie Lalekla, em 1995, tornou-se Diretor-geral do Grupo Dixie Toga e, em 1997, assumiu a presidência do Grupo. Entre 2005 e 2012 foi presidente da Votorantim Cimentos, sendo responsável pelas suas operações no Brasil e em 14 outros países. Desde 2013 à frente da Suzano, Schalka liderou importantes movimentos da empresa, incluindo a recente fusão com a Fibria.

Nildemar Secches Membro Independente do Conselho de Administração
Graduado em Engenharia Mecânica pela USP de São Carlos, pós-graduado em Finanças pela PUC do Rio de Janeiro, tendo cursado doutorado em Economia pela Unicamp. Atualmente exerce os seguintes cargos: (i) desde 2008, é membro do Conselho de Administração e do Comitê de Sustentabilidade e Estratégia da Suzano S.A.; (ii) desde 1998, é Vice-Presidente do Conselho de Administração da WEG S/A, companhia aberta cuja principal atividade consiste na industrialização, produção e comercialização de sistemas industriais, máquinas e equipamentos; (iii) desde 2004, é Vice-Presidente do Conselho de Administração da Iochpe-Maxion S.A., companhia aberta cuja principal atividade consiste na fabricação e distribuição de motores, máquinas e equipamentos agrícolas e componentes para a indústria metalúrgica, ferroviária e automobilística; (iv) foi membro do Conselho de Administração da Ultrapar Participações S.A. entre 2002 e 2020, companhia aberta cuja principal atividade consiste na aplicação de capital próprio no comércio, na indústria, na agricultura e na prestação de serviços; e (v) Foi membro do Conselho de Administração do Itaú-Unibanco no período de 2012 a 2017. No período de 1972 a 1990, trabalhou no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, onde foi Diretor no período de 1987 a 1990. De 1990 a 1994, foi Diretor Geral Corporativo do Grupo Iochpe-Maxion Holding Indústria e, no período de 1995 a 2008, foi Diretor Presidente da Perdigão S.A. De 2007 a abril de 2013, foi Presidente do Conselho de Administração da BRF – Brasil Foods, companhia aberta cuja principal atividade consiste na industrialização, comercialização e exploração de alimentos em geral.
Mateus Affonso Bandeira Membro Independente do Conselho de Administração

Graduado em Informática pela Universidade Católica de Pelotas, com especialização em Finanças Corporativas e Gestão pela FGV e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui MBA pela Wharton School, University of Pennsylvania e especialização para presidentes de empresa (OPM) da Harvard Business School. Entre 2011 e 2017, foi Sócio-Presidente e CEO da FALCONI – Consultores de Resultado. Foi membro dos Conselhos de Administração do Banco Pan (2011 a 2017), da PDG (2012 a 2016), da Terra Santa Agro (2016 a 2018) e do Hospital Moinhos de Vento (desde 2016). Foi membro Conselho Deliberativo da Fundação Estudar entre 2012 e 2017. Além disso, foi Presidente do Banrisul e Diretor de RI (2010 a 2011) e membro do CdA (2008 a 2011), Diretor/Subsecretário do Tesouro do RS (2007 a 2008), Secretário de Planejamento e Gestão do RS (2008 a 2009). Atuou também no Senado Federal (2006), no Ministério da Fazenda (2004 a 2005) e na Secretaria da Fazendo do RS (1993 a 2002).

Claudio Antonio Goncalves Membro Independente do Conselho de Administração

Graduado em Direito pela UniEvangélica, pós-graduado em Direito Público pela Universidade de Rio Verde (FESURV / Axioma Jurídico) e possui MBA em Negócios Financeiros pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Possui experiência em gestão patrimonial e de investimentos, com sólida expertise na área de investimentos para os mercados de private banking (onshore e offshore), varejo bancário e previdência fechada, tendo atuado na gestão negocial e estratégica de diversos segmentos de negócios – pessoa física, produtores rurais e clientes private no Brasil e nos Estados Unidos da América. Nos últimos cinco anos, atuou como gerente executivo do Banco do Brasil (Brasília/DF), tendo sido responsável pela implantação da Unidade Captação e Investimentos, unidade estratégica responsável pela jornada dos clientes investidores do Banco do Brasil no segmento de varejo (2017 – 2020); general manager no Banco do Brasil (Miami/EUA), responsável pelo relacionamento com clientes correntistas do BB Miami branch, que abrange os segmentos de private banking e funcionários públicos expatriados do governo federal (2020 – 2023); desde 2023, exerce a função de Diretor de Investimentos da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI, sendo responsável pela alocação e gestão dos investimentos da PREVI; e em 2024 foi eleito como membro do Conselho de Administração da Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU).

Ronaldo Cezar Coelho Membro Independente do Conselho de Administração

Graduado em Direito pela PUC do Rio de Janeiro, trabalhou na Agência Roberto de Automóveis e depois como operador da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Em 1970 se tornou sócio da Corretora Multiplic e foi presidente do Banco London Multiplic até 1985. Foi diretor e presidente da ANBID – Associação Nacional dos Bancos de Investimento (1983/85) e Membro do Conselho da Cia. Souza Cruz. Eleito deputado constituinte em 1986, pelo PMDB, foi vice-líder de Mário Covas. Foi fundador do PSDB em 1988 e presidente do partido no Rio até 1993. Eleito deputado federal em 1994, no ano seguinte assumiu a Secretaria Estadual de Indústria, Comércio e Turismo quando atraiu projetos econômicos e industriais para o estado, entre eles as fábricas da Volkswagen e Peugeot, que deu início ao moderno polo automobilístico do Sul Fluminense. Em 1996, foi nomeado Embaixador do Brasil junto ao COI para liderar a candidatura do Rio às Olimpíadas de 2004. Em 1998, foi reeleito deputado federal pelo Rio de Janeiro. Ocupou então o cargo de vice-líder do Deputado Luiz Eduardo Magalhães e líder do Governo após o seu falecimento. Em março de 2000 foi eleito Presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Câmara dos Deputados. Em 2002 foi reeleito Deputado Federal para o seu quarto mandato. De 2001 a 2005, foi Secretário Municipal de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro. Em 1994, foi fundador do Instituto Preservale. Em 2001 fundou o Instituto São Fernando, em Vassouras, RJ. Em 2016, junto com seu filho fundou o Instituto República e em 2017 o Instituto Vassouras Cultural.

Comitês de Assessoramento ao Conselho de Administração

Os seguintes comitês, vinculados diretamente ao Conselho de Administração, são órgão estatutários de caráter permanente, que possuem a finalidade de assessorar o Conselho de Administração no cumprimento de suas responsabilidades.

Comitê Financeiro – COF

O Comitê Financeiro, tem por finalidade assessorar o Conselho de Administração em assuntos estratégicos e financeiros, tais como os riscos concernentes à gestão financeira, a proposta de plano estratégico, o plano de negócios e demais diretrizes e orientações relacionadas ao escopo do Comitê definidas em seu regimento interno.

Fabio Schvartsman Coordenador

Formado em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas – EAESP/FGV, com pós-graduação em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP. Foi Diretor-Presidente da Vale (de maio de 2017 até março de 2019) e Participante Permanente do Comitê de Divulgação de Informações da Vale (durante o mesmo período), onde exerceu ainda o cargo de Participante Permanente e Coordenador do Comitê Estratégico (de maio a outubro de 2017). Suas principais experiências profissionais incluem: (i) Diretor Geral e CEO da Klabin S.A. (de fevereiro de 2011 a maio de 2017), companhia aberta que atua no setor de papel e celulose; (ii) Presidente da SanAntonio Internacional (de março de 2008 a março de 2010), sociedade do setor de óleo e gás; (iii) Presidente da Telemar Participações S.A. (de abril de 2007 a março de 2008), companhia do setor de telecomunicações; na Ultrapar, companhia do setor de distribuição de combustíveis, atuou como (iv) Superintendente de Planejamento, (v) Diretor de Planejamento, (vi) Diretor de Planejamento e Controle, (vii) Diretor de Relações com Investidores, (viii) Presidente (Ultraprev), (ix) Sócio-Diretor (Ultra S.A. – controladora da Ultrapar) e (x) CFO/Diretor Superintendente Financeiro (Grupo Ultra de maio de 1985 a abril de 2007); (xi) Membro do Conselho de Administração da Duratex S.A., companhia aberta que atua no setor madeireiro, onde também atuou como (xii) Chefe de Setor de Estudos Econômicos, (xiii) Chefe de Divisão de Desenvolvimento e (xiv) Chefe do Departamento de Planejamento (de fevereiro de 1976 a abril de 1985); e (xv) foi membro do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar, empresa do setor de varejo. Graduou-se em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP em 1976. Cursou pós-graduação em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli/USP, concluída em 1977, e em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas – EAESP/FGV, concluída em 1979.

Walter Schalka Membro do Comitê Financeiro

Engenheiro formado pelo ITA e pós-graduado pela FGV, IMD e Harvard Business School e desde 2013 ocupa o cargo de Presidente da Suzano. Iniciou sua carreira no Citibank e, em 1989, assumiu o cargo de Diretor Financeiro e Administrativo na Dixie Lalekla. Com a fusão das empresas Toga e Dixie Lalekla, em 1995, tornou-se Diretor-geral do Grupo Dixie Toga e, em 1997, assumiu a presidência do Grupo. Entre 2005 e 2012 foi presidente da Votorantim Cimentos, sendo responsável pelas suas operações no Brasil e em 14 outros países. Desde 2013 à frente da Suzano, Schalka liderou importantes movimentos da empresa, incluindo a recente fusão com a Fibria.

Sérgio Agapito Lires Rial Membro do Comitê Financeiro

Formado em economia e direito, com MBA e com diversos cursos em universidades nos EUA e Europa, tem uma longa carreira internacional como executivo e membro de conselhos nos setores financeiros e relacionados ao AGRO, da Ásia às Américas. Integra, desde 2023, o conselho consultivo de uma das maiores universidades da China – Zhejiang University International Business School (ZIBS), como um dos membros do conselho internacional e faz parte do Conselho Consultivo da FRUX Capital, um grande fundo de investimento na Europa, com sede em Madrid. Atualmente é presidente do Conselho de Administração da Vibra Energia, uma das maiores empresas do Brasil, anteriormente conhecida como BR Distribuidora. Acumula também a Presidência do Conselho de Administração da Ebury Partners, em Londres, uma fintech global que oferece soluções de câmbio e pagamentos cross-border que impulsionam o comércio exterior e negócios digitais entre vários países. Além disso, é membro do conselho da Brazil Foods (BRF), maior empresa nacional de alimentos e membro do conselho de administração da Delta Airlines nos EUA, há mais de nove anos. No tema de ESG, é membro do conselho global da The Nature Conservancy (TNC), uma das maiores ONGs ambientais do mundo, com sede nos EUA, e co-presidente do conselho empresarial focado na conservação ambiental na América Latina (LACC). Antes disso, também foi presidente do Conselho e Presidente Executivo do Santander Brasil até janeiro de 2023 tendo feito também parte do conselho do grupo Santander na  Espanha. Como executivo, desempenhou funções no comitê executivo global do ABN AMRO em Amsterdã, Diretor Executivo Sênior no Bear Stearns em Nova York, CFO Global da Cargill em Minneapolis e CEO da Marfrig Foods, uma das maiores empresas de carne bovina do mundo.

Comitê de Governança, Pessoas e Remuneração – CGPR

O Comitê de Governança, Pessoas e Remuneração tem por finalidade, entre outras atribuições previstas no respectivo regimento interno ou nas políticas da Companhia, analisar os requisitos de elegibilidade para a investidura em cargo de administração e de conselheiro fiscal da Companhia, em conformidade com a Política de Indicação da Companhia.
Nildemar Secches Coordenador

Graduado em Engenharia Mecânica pela USP de São Carlos, pós-graduado em Finanças pela PUC do Rio de Janeiro, tendo cursado doutorado em Economia pela Unicamp. Atualmente exerce os seguintes cargos: (i) desde 2008, é membro do Conselho de Administração e do Comitê de Sustentabilidade e Estratégia da Suzano S.A.; (ii) desde 1998, é Vice-Presidente do Conselho de Administração da WEG S/A, companhia aberta cuja principal atividade consiste na industrialização, produção e comercialização de sistemas industriais, máquinas e equipamentos; (iii) desde 2004, é Vice-Presidente do Conselho de Administração da Iochpe-Maxion S.A., companhia aberta cuja principal atividade consiste na fabricação e distribuição de motores, máquinas e equipamentos agrícolas e componentes para a indústria metalúrgica, ferroviária e automobilística; (iv) foi membro do Conselho de Administração da Ultrapar Participações S.A. entre 2002 e 2020, companhia aberta cuja principal atividade consiste na aplicação de capital próprio no comércio, na indústria, na agricultura e na prestação de serviços; e (v) Foi membro do Conselho de Administração do Itaú-Unibanco no período de 2012 a 2017. No período de 1972 a 1990, trabalhou no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, onde foi Diretor no período de 1987 a 1990. De 1990 a 1994, foi Diretor Geral Corporativo do Grupo Iochpe-Maxion Holding Indústria e, no período de 1995 a 2008, foi Diretor Presidente da Perdigão S.A. De 2007 a abril de 2013, foi Presidente do Conselho de Administração da BRF – Brasil Foods, companhia aberta cuja principal atividade consiste na industrialização, comercialização e exploração de alimentos em geral.

Sérgio Agapito Lires Rial Membro do Comitê de Governança, Pessoas e Remuneração

Formado em economia e direito, com MBA e com diversos cursos em universidades nos EUA e Europa, tem uma longa carreira internacional como executivo e membro de conselhos nos setores financeiros e relacionados ao AGRO, da Ásia às Américas. Integra, desde 2023, o conselho consultivo de uma das maiores universidades da China – Zhejiang University International Business School (ZIBS), como um dos membros do conselho internacional e faz parte do Conselho Consultivo da FRUX Capital, um grande fundo de investimento na Europa, com sede em Madrid. Atualmente é presidente do Conselho de Administração da Vibra Energia, uma das maiores empresas do Brasil, anteriormente conhecida como BR Distribuidora. Acumula também a Presidência do Conselho de Administração da Ebury Partners, em Londres, uma fintech global que oferece soluções de câmbio e pagamentos cross-border que impulsionam o comércio exterior e negócios digitais entre vários países. Além disso, é membro do conselho da Brazil Foods (BRF), maior empresa nacional de alimentos e membro do conselho de administração da Delta Airlines nos EUA, há mais de nove anos. No tema de ESG, é membro do conselho global da The Nature Conservancy (TNC), uma das maiores ONGs ambientais do mundo, com sede nos EUA, e co-presidente do conselho empresarial focado na conservação ambiental na América Latina (LACC). Antes disso, também foi presidente do Conselho e Presidente Executivo do Santander Brasil até janeiro de 2023 tendo feito também parte do conselho do grupo Santander na  Espanha. Como executivo, desempenhou funções no comitê executivo global do ABN AMRO em Amsterdã, Diretor Executivo Sênior no Bear Stearns em Nova York, CFO Global da Cargill em Minneapolis e CEO da Marfrig Foods, uma das maiores empresas de carne bovina do mundo.

Ronaldo Cezar Coelho Membro do Comitê de Governança, Pessoas e Remuneração

Graduado em Direito pela PUC do Rio de Janeiro, trabalhou na Agência Roberto de Automóveis e depois como operador da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Em 1970 se tornou sócio da Corretora Multiplic e foi presidente do Banco London Multiplic até 1985. Foi diretor e presidente da ANBID – Associação Nacional dos Bancos de Investimento (1983/85) e Membro do Conselho da Cia. Souza Cruz. Eleito deputado constituinte em 1986, pelo PMDB, foi vice-líder de Mário Covas. Foi fundador do PSDB em 1988 e presidente do partido no Rio até 1993. Eleito deputado federal em 1994, no ano seguinte assumiu a Secretaria Estadual de Indústria, Comércio e Turismo quando atraiu projetos econômicos e industriais para o estado, entre eles as fábricas da Volkswagen e Peugeot, que deu início ao moderno polo automobilístico do Sul Fluminense. Em 1996, foi nomeado Embaixador do Brasil junto ao COI para liderar a candidatura do Rio às Olimpíadas de 2004. Em 1998, foi reeleito deputado federal pelo Rio de Janeiro. Ocupou então o cargo de vice-líder do Deputado Luiz Eduardo Magalhães e líder do Governo após o seu falecimento. Em março de 2000 foi eleito Presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Câmara dos Deputados. Em 2002 foi reeleito Deputado Federal para o seu quarto mandato. De 2001 a 2005, foi Secretário Municipal de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro. Em 1994, foi fundador do Instituto Preservale. Em 2001 fundou o Instituto São Fernando, em Vassouras, RJ. Em 2016, junto com seu filho fundou o Instituto República e em 2017 o Instituto Vassouras Cultural.

Comitê de Auditoria Estatutário – CAE

O Comitê de Auditoria Estatutário tem por finalidade, sem prejuízo de outras previstas em seu regimento interno, aprovado pelo Conselho de Administração, a análise e manifestação sobre as seguintes matérias:

  • Opinar sobre a contratação e a destituição dos serviços de auditoria independente;
  • Acompanhar a atuação, independência e qualidade dos trabalhos dos auditores independentes e dos auditores internos, bem como as atividades da área de controles internos da companhia;
  • Avaliar a qualidade, transparência e integridade das informações trimestrais, demonstrações intermediárias e demonstrações financeiras;
  • Acompanhar a efetividade dos processos de controles internos para a produção de relatórios financeiros;
  • Avaliar e monitorar as exposições de risco da companhia;
  • Avaliar, monitorar e recomendar à Administração a correção ou aprimoramento das políticas internas da companhia, incluindo a política de transações entre partes relacionadas;
  • Avaliar situações de potencial conflito de interesse e opinar sobre transações com partes relacionadas;
  • Dispor de meios para recepção e tratamento de informações acerca do descumprimento de dispositivos legais e normativos aplicáveis à companhia, além de regulamentos e códigos internos, inclusive com previsão de procedimentos específicos para proteção do prestador e confidencialidade da informação.
Mateus Affonso Bandeira Coordenador

Graduado em Informática pela Universidade Católica de Pelotas, com especialização em Finanças Corporativas e Gestão pela FGV e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui MBA pela Wharton School, University of Pennsylvania e especialização para presidentes de empresa (OPM) da Harvard Business School. Entre 2011 e 2017, foi Sócio-Presidente e CEO da FALCONI – Consultores de Resultado. Foi membro dos Conselhos de Administração do Banco Pan (2011 a 2017), da PDG (2012 a 2016), da Terra Santa Agro (2016 a 2018) e do Hospital Moinhos de Vento (desde 2016). Foi membro Conselho Deliberativo da Fundação Estudar entre 2012 e 2017. Além disso, foi Presidente do Banrisul e Diretor de RI (2010 a 2011) e membro do CdA (2008 a 2011), Diretor/Subsecretário do Tesouro do RS (2007 a 2008), Secretário de Planejamento e Gestão do RS (2008 a 2009). Atuou também no Senado Federal (2006), no Ministério da Fazenda (2004 a 2005) e na Secretaria da Fazendo do RS (1993 a 2002).

Claudio Antonio Gonçalves Membro do Comitê de Auditoria Estatutário

Graduado em Direito pela UniEvangélica, pós-graduado em Direito Público pela Universidade de Rio Verde (FESURV / Axioma Jurídico) e possui MBA em Negócios Financeiros pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Possui experiência em gestão patrimonial e de investimentos, com sólida expertise na área de investimentos para os mercados de private banking (onshore e offshore), varejo bancário e previdência fechada, tendo atuado na gestão negocial e estratégica de diversos segmentos de negócios – pessoa física, produtores rurais e clientes private no Brasil e nos Estados Unidos da América. Nos últimos cinco anos, atuou como gerente executivo do Banco do Brasil (Brasília/DF), tendo sido responsável pela implantação da Unidade Captação e Investimentos, unidade estratégica responsável pela jornada dos clientes investidores do Banco do Brasil no segmento de varejo (2017 – 2020); general manager no Banco do Brasil (Miami/EUA), responsável pelo relacionamento com clientes correntistas do BB Miami branch, que abrange os segmentos de private banking e funcionários públicos expatriados do governo federal (2020 – 2023); desde 2023, exerce a função de Diretor de Investimentos da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI, sendo responsável pela alocação e gestão dos investimentos da PREVI; e em 2024 foi eleito como membro do Conselho de Administração da Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU).

Marco Antonio Mayer Foletto Membro Externo

Graduado em Ciências Contábeis pela UFRGS (2001) e em Direito pela PUCRS (2021). Pós-graduação em Gestão Empresarial pelo IBMEC/SP (2008) e pela UFRGS (2006). Possui experiência profissional construída no Brasil, México, EUA e Índia, exercendo as funções de Controller na Iochpe-Maxion (1992-1998), na Dell (1999-2002) e na York (2002-2003), de Diretor de Auditoria na Tam (2009-2010) e na CSN (2015) e de Diretor Financeiro na RSB Transmissions (2014-2015) e na Superbac Biotech (2016). Na Gerdau atuou como Gerente Corporativo de Auditoria (2004-2009) e Controller na Índia (2011-2014). Foi Conselheiro de Administração Independente do Banrisul (2018-2019) e na Petrobras Transportes (2018-2022). Atuou como Conselheiro Fiscal Independente na Falconi Consultores (2015-2017), na General Shoppings (2019-2022) e na Marisa Lojas (2020-2022). Atuou como Membro Independente dos Comitês de Auditoria da Petrobras Transportes (2018-2022), da CEEE-RS (2019-2022) e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (2019-2021). Atualmente é (i) Conselheiro Fiscal Independente na SANEPAR; (ii) Conselheiro Fiscal Suplente na Metalúrgica Gerdau, (iii) Conselheiro Fiscal Suplente na Assaí Atacadista, (iv) Conselheiro Fiscal Suplente na Saraiva Livreiros S.A., (v) Conselheiro Fiscal Suplente  na Positivo Tecnologia S.A e (vi) Conselheiro Fiscal Suplente na OI S.A.

Luiz Carlos Nannini Membro Externo

Bacharel em Ciências Contábeis, com diversos cursos de especialização no Brasil e exterior, incluindo curso de liderança em Harvard. Presidente do Conselho Fiscal da Companhia de Gás de São Paulo ??Comgás, Companhia Aberta, até 31/12/19; Presidente do Conselho Fiscal da Companhia Cosan S.A, Companhia Aberta até 31/12/19; Presidente do Conselho Fiscal da Cosan Logistica, até 31/12/19; Membro do Comitê de Auditoria Da Cosan Limited, Cia aberta nos USA, até 31/12/19; Membro do Comitê de Auditoria, como membro técnico qualificado, do Banco Santander e Controladas, Companhia Aberta no Brasil e USA, até junho de2020; Membro do Comitê de Auditoria, como membro técnico qualificado, do Grupo Br Malls; Membro do Comitê de Auditoria, como membro técnico qualificado, do Grupo Centauro; membro do Comitê de Auditoria do Grupo Via Varejo; membro do Comitê de Auditoria do Grupo Eletrobras; Membro do Comitê de Auditoria da CDHU; Membro do Comitê de Auditoria do PraValer; Coordenador do Comitê de Auditoria do Grupo Cogna Educação; Coordenador do Comitê de Auditoria da GETNET; Presidente do Conselho Fiscal da TOTVS; Conselheiro fiscal da Localiza; Membro do Comitê de Auditoria da Santa Casa de Misericórdia (pro bono). Auditor Interno e controller do First cHigado no Brasil (1985); auditor independente na Ernst & Young (de 1982 a 2014) e Diretor de Novos Negócios no Grupo CB Casas Bahia (2014 a 2015).